Tratamento da Endometriose e Infertilidade - Dr. Carlos Portocarrero - Brasília-DF

61 99863-1907

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive

A Endometriose ocorre quando o endométrio, ou seja, o tecido que reveste a cavidade uterina, implanta-se fora do útero.

O tecido endometrial, uma vez fora do útero, tem a capacidade de implantar e proliferar, aumentando a quantidade de células e o tamanho das lesões de endometriose. A disseminação do endométrio pode se dar por proximidade, acometendo tecidos e órgãos pélvicos ou pela corrente sanguínea, atingindo órgãos fora da pelve. 

Quais são os sintomas?

- Cólicas menstruais (dismenorreia) de intensidade variada, aumentando com o tempo, e está presente antes, durante e após a menstruação.


- Dor pélvica, ao início perimenstrual e depois de um tempo se apresentando em qualquer época do mês.


- Dor na relação sexual (dispareunia) de profundidade, decorrente da distorção da anatomia pélvica.


- Infertilidade, dificuldade para engravidar nos diferentes estágios, principalmente quando já existe alteração da anatomia pélvica por aderências.


- Em casos mais avançados quando existe comprometimento intestinal, dor para evacuar (disquezia), sangramento via retal no período menstrual (hematoquezia) e distensão abdominal.

Porque a endometriose leva a infertilidade?

A relação com infertilidade nos estágios leves e mínimos não está muito claro. Existem alterações inflamatórias importantes que diminuiriam a fertilidade. Nos estágios moderados e graves, está mais claro por alterações da anatomia pélvica, aderências, entre trompas ovários, útero, intestinos; que fariam um bloqueio pélvico, dificultando o encontro do óvulo com o espermatozoide.

O que é endometriose profunda?

Existem três formas de endometriose. Não está muito claro se são progressivas ou independentes. Atualmente as investigações apontam que elas tenham origens diferentes. São elas:

- Endometriose Peritonial: Implantes superficiais de glândulas ou estroma endometrial, em diferentes partes da cavidade pélvica. O tratamento é a ressecção cirúrgica.


- Endometriose Ovariana: São os cistos com conteúdo hemático, de fácil diagnóstico por ultrassonografia. Considerado um marcador da endometriose profunda.


- Endometriose Profunda: um conceito de anatomia patológica, quando o implante ultrapassa 5 mm a partir do peritônio. Na prática, ao se realizar o toque vaginal, encontramos nódulos dolorosos retro uterinos e para cervicais, que levam a dor na relação sexual. Muitas vezes são indícios de comprometimento intestinal (reto-sigmoide), o diagnóstico é auxiliado com ultrasonografia endovaginal, com preparo intestinal ou ressonância nuclear magnética da pelve com contraste. Permite fazer o mapeamento pélvico e mostrar o grau de comprometimento, permitindo traçar estratégias de tratamento, principalmente quando há comprometimento intestinal onde se complementa o estudo com Retosigmoidoscopia, decidindo assim se haverá nodulectomia ou resecção de um segmento da alça.


- Existem implantes em outras localizações, como por exemplo, o endometrioma de parede abdominal relacionado a cesariana prévia. Nódulos abaixo da cicatriz cirúrgica, dolorosos, mais evidentes no período menstrual cujo tratamento é cirúrgico.

Tratamento clínico e cirúrgico. Qual o mais indicado?

O tratamento clínico é habitualmente usado nos casos de endometriose com hormônios como por exemplo anticoncepcionais e atua na diminuição dos sintomas (dor). A cirurgia com ressecção dos implantes por endometriose é indicado para melhorar os sintomas, principalmente de dores com difícil controle de tratamento a base de medicamentos.

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive

A laparoscopia ginecológica pode diagnosticar e tratar diversas alterações da pelve (útero, trompas, ovários e outras estruturas próximas), através de orifícios na parede abdominal. A laparoscopia é realizada no centro cirúrgico com anestesia geral.

 

VANTAGENS

 

  • Causa menos trauma e sangramento

  • Reduz o risco de infecção.

  • Menor tempo de internação.

  • Menor tempo de recuperação em relação a cirurgia tradicional.

  • Possibilita menor formação de aderências.

  • Melhor resultado estético.

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive

DIAGNÓSTICA

A grande vantagem é a possibilidade de sua realização em ambulatório sem o uso da anestesia e sem requerer internação. Após o exame o paciente poderá retornar as suas atividades cotidianas normais.

  • Espessamento do endométrio

  • Adenocarcinoma do endométrio

  • Miomas

  • Aderências (Sinéquias)

  • Sangramento uterino anormal

  • Infertilidade

  • Biópsias endometriais

  • Abortamento de repetição

  • Pólipos

 

CIRÚRGICA

Vídeo Histeroscopia operatória exige internação/internamento e anestesia, pois os instrumentos utilizados são mais calibrosos. Mesmo assim o método reduz significativamente o risco de infecção hospitalar e o tempo de recuperação da paciente é mínimo.

  • Cateterização/laqueação tubária (essure)

  • Retirada de miomas

  • Retirada de pólipos

  • Retirada de sinéquias

  • Ablação do endométrio

  • Remoção de corpo estranho

  • Correção de útero septado (septoplastia)

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive

 

Avaliação completa, individualizada e humanizada do casal com dificuldade para engravidar. Recomenda-se investigar em casais em que a mulher abaixo dos 35 anos tentaram por um ano engravidar e acima dos 35 anos quando tentaram por 6 meses.

Após identificação do problema recomenda-se tratamentos desde os mais simples, como monitorização da ovulação para relações programadas, inseminação artificial, até as mais avançadas como Fertilização in vitro (FIV/ICSI).

As técnicas auxiliam também casais homo-afetivos e mulheres a realizarem o sonho da maternidade independente, indicando inseminação com sêmen de doador. Já na Vitrificação de óvulos, uma técnica atualmente consagrada, podemos preservar fertilidade, por exemplo, antes de iniciar tratamentos quimioterápicos ou por razões sociais, quando se decide postergar maternidade para outro momento.

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive

FORMAÇÃO

Graduação em Facultad de Medicina na Universidad Nacional Mayor de San Marcos. – Lima-Perú, 1984-1993 - Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital Regional do Gama. – 1996-1998 - TEGO, TÍTULO DE ESPECIALISTA em Ginecologia Obstetrícia Nro 127/99 - Aperfeiçoamento em Reprodução Humana e Vídeo-Endoscopia Ginecológica, no GENESIS, 1999-2000 - Habilitação em Histeroscopia, pela FEBRASGO, 2000 - Habilitação em Ultra-sonografia em Ginecologia Obstetrícia, pela FEBRASGO, 2000.

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive

ÁREAS DE ATUAÇÃO

  • Endometriose

  • Histeroscopia

  • Laparoscopia

  • Fertilização In Vitro ((FIV/ICSI)

  • Inseminação

  • Oncofertilidade

Serviço de Reprodução Humana - Maternidade Brasília - Sudoeste

(61) 3026-0035

Diagnose - Gama

(61) 3484 0808

(61) 99863-1907

/DrCarlosPortocarrero